quinta-feira, 21 de abril de 2011

50 anos... e agora? Crônica

É, chegou o dia. 
Meus 50 anos...
Mas ninguém sabe disso. Nem vão saber!
Me escondo atrás de cremes faciais, operações e pó. Muito pó!
Mais pareço minha filha, pelo menos prefiro pensar que pareço.
A menina não se cuida e ri da minha preocupação. Deixa ela, um dia chegará aos 50...
Corro contra o tempo, luto contra as rugas, fico horas na clínica de estética. Não posso perder minha juventude!
Mas, nos dias frios, sofro com um reumatismo precoce, fruto de exercícios mal feitos. Mas você não pode contar isso para ninguém, ein! Se me perguntarem, nego até a morte!
Não quero ser como minha mãe, que com 50 anos parecia ter 70, cansada, maltratada e só. Serei sempre linda e jovem!
Quando não puder mais me esticar, escondo!
O pescoço? Escondo!
As rugas não mãos? Luvas!
E no rosto, o amigo fiel, o pó compacto! Ou como minha filha prefere chamar, o reboco.
Não perderei minha beleza e minha juventude. Não quero ficar só. Ser velho já é triste, solitário então...
Prefiro que Deus me leve antes.
Pelo menos chegarei lá perfumada, sã e linda, toda esticadinha!

Autoria: Roberta se Souza
Proibida a cópia e reprodução sem prévia autorização da autora.
Postar um comentário