quarta-feira, 20 de abril de 2011

Gordurinhas pra que te quero...

Tenho percebido um movimento curioso na blogsfera...

Algumas queridas daqui contam suas histórias e experiências sobre o tema. Outros escrevem contos e exemplos sobre isso... enfim, estar fora dos padrões da moda dá panos à manga... como dizia minha avó...rs

Ao longo dos séculos, a ditadura da moda e a sociedade, principalmente a de consumo, se torna cada dia mais mordaz, consequentemente, mais traumática...

Estamos no século das doenças mentais, agora tudo é depressão, crise de pânico, distúrbios etc. Não estou questionando a existência destas doenças, apenas acho incrível como as pessoas se tornaram vulneráveis mentalmente. Sinceramente, não sei porque.

É claro que especialistas apontam estudos e mais estudos sobre o tema. A questão é que a mente engana mesmo! Não é à toa que meninas pele e osso se olham no espelho e veem gordura onde não existe nem carne... (Já eu não consigo acreditar que aquela gordinha que está nas filmagens sou eu! Eu não sou assim! A tv engorda mesmo!!!rs)

Sempre comentei este tema com cautela. Mas, depois de ler tanta coisa a respeito e ver tanta gente perdida e desesperada por estar (ou pelo menos achar que está) gordinha, acima do peso, gorducha, fofucha, obesa etc., resolvir dar meu pitaco, colocar meu dedinho gordinho na ferida...rs
Vamos lá...

Sou de origem portuguesa pelo lado da família de papi. Minha herança genética é todinha de lá. E nós, os Melo Pereira somos gordinhos (alguns). Uma prima minha era obesa, enorme mesmo. Eu e meus irmãos somos pesadinhos... Nada de: MEU DEUS! COMO SÃO ENORMES! Nem somos tão altos e tal... Mas nosso corpo é parrudinho, todo fofinho...rs
To enrolando, né?

Enfim. Eu sou a mais gorduchinha, sempre fui. Desde menininha, sempre fui "grandona", sem ser alta, sacou? Já ouvi muita coisa engraçada por aí, mas também já ouvi muita coisa feia.

Entrando na adolescencia senti na pele a diferença de tratamento dos rapazes para com as meninas magrinhas e as meninas gordinhas.

Pra falar a verdade, essas coisas nunca me afetaram muito, sou de natureza explosiva mas não guardo rancor e não deixo as coisas que me incomodam ficarem aqui dentro... Graças a Deus não fico remoendo as coisas, então o tempo passa e elas se vão.

Por eu ser gordinha, por estar acima do peso (minha endocrino disse que estou entrando na obesidade grau 1, Ei! NÃO CONTA PRA NINGUÉM EIN!rs), mas por não sofrer pelo impossível, resolvi dividir aos pouquinhos umas histórias minhas com vocês. Vem comigo??

Hoje vou deixar um link sobre algo que me incomoda mmmmuuuiiiiitttooo!!!
Roupas!
Eu estou num meio termo em relação às roupas. Não chego a usar roupas especiais, elas ficam sempre largas demais e disformes em mim. Mas também não consigo encontrar quase nada nas formas "normais". Aí eu danço! 
Acredita que não posso nem ser modelo Plus Size (faltam alguns quilinhos...vai entender!)
Calça então é uma grande porcaria! Os fabricantes querem ganhar dinheiro e economizar pano, ou seja, o 42 virou 40 e o 44 virou 42, ou seja, sou obrigada a catar o 48 e ficar como um saquinho, porque não preencho todo o espaço da calça, entendeu?? Difícil né?
Fica quase como as mulheres que tem quadril demais e pouca cintura, que, ou ficam espremidas ou compram calças largas e mandam para a costureira.

É sempre a mesma novela para comprar calças e bermudas... Minha sorte é que amo vestidos e fico bem neles... Mas essa será outra história. Me espera??

Leia este pequeno conto sobre o tema, clique aqui
Postar um comentário