quinta-feira, 26 de maio de 2016

Autores x Críticas

Crítica literária...
Nome feio não é? Crítica...
Ok. Vamos usar o nome resenha...
Mas aí fica perdido, parece que quem escreveu fez apenas um resumo.
A moda agora é usar o termo resenha crítica.
Mas como sou das antigas, o termo que conheci, que fiz e que fui submetida com os meus livros foi a crítica literária mesmo e é com ela que eu vou...
Crítica nem sempre significa algo ruim.
Veja a definição do dicionário:

crítica
substantivo feminino
1. arte, capacidade e habilidade de julgar, de criticar; juízo crítico.
2. p.ext. atividade de examinar e avaliar minuciosamente uma produção artística, literária ou científica, bem como costumes e comportamentos.

Crítica ou resenha, estes pequenos textos com informações sobre livros e observações pessoais de quem leu é o céu e o inferno de muitos escritores.
Como escritora e crítica literária, já vivi este dois lados da moeda. Então, posso dizer categoricamente, não é fácil fazer uma crítica negativa e não é fácil receber uma crítica negativa.
Como crítica literária já li obras sofríveis, já me vi frente a dilemas por não gostar de livros aclamados e, graças a Deus, tive o prazer de ler obras incríveis de pessoas desconhecidas do grande público.
Não existe fórmula perfeita, cada leitor tende a certos gostos, como cada escritor tem sua assinatura literária.
Em minhas críticas busco sempre ser delicada, mesmo quando ela não é favorável ao livro. Penso que estamos lidando com seres humanos, pessoas que tiveram a coragem de imprimir no papel as suas verdades, os seus sonhos, e, muitas vezes, sua vida.
Preciso confessar, os livros sofríveis passaram direto. Não escrevi a crítica... Pra que fazer o autor sofrer?
Ultimamente, com o boom da internet e de blogs, vemos muitos leitores e aspirantes a críticos, tentarem fazer seus nomes em cima de seus blogs. Beleza! Nada contra! Mas fazer seus nomes em cima de chacotas com autores... Ai fica feio.
Lembre-se fazer uma boa crítica literária é ter a arte, capacidade e habilidade de julgar, de criticar.
Claro que, todos têm direito a se posicionar, tem o direito de dar suas opiniões. As questões são: Quais palavras serão usadas? Como dizer que um livro é ruim sem ofender o autor? Como lidar com isso?
Então, corre ai amigo, pesquise e busque descobrir como ser um bom crítico. Até porque o crítico não é um deus, é apenas um ser humano com visões e gostos, como qualquer outro indivíduo, como o próprio escritor.
Escritores, nós também não somos deuses. Não é porque tivemos a coragem (sim, penso que publicar um livro é um ato de coragem) de expor o que nos vai na alma em páginas de uma brochura que somos melhores que qualquer outra pessoa.
O que é maravilhoso para nós, pode não ser para o leitor que calha de ter nossos livros nas mãos.
Sei que os blogueiros hoje, tanto para editoras, quanto para escritores independente, são ótimas fontes de divulgação “gratuita”. Mas é preciso ter atenção. Existem sites e blogs literários comprometidos, sérios e profissionais, mas também existem os jovens blogueiros, que, talvez por força de sua juventude, não tenham o tato necessário para não detornar um livro, mesmo que ele não goste da leitura.
Escritor esteja aberto a todas as críticas. Não são apenas os carinhos que nos alimentam, as críticas negativas, bem recebidas, podem nos fazer crescer e nos fortalecer.
Como o que se apresenta, normalmente são egos, a guerra fica feia às vezes. Desnecessário, não é?

Que possamos viver de literatura seja escrevendo ou publicando críticas literárias, mas que possamos nos respeitar e somar sempre!
Postar um comentário