terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Quem Disse Berenice?


Concordo que temos que ser fortes! Independentes! Donas do nosso nariz...
Tuuuudddooo bem!
Super apoio! Juro!
Mas quem não ama um cobertor? Um carinha pra chamar de seu?
Claro que, qualquer meia pataca não interessa, não é?
Bom, pode interessar para algumas, para mim... Não mesmo!
Enfim...
Podemos ser poderosas! Seguras! MA-RA-VI-LHO-SAS!
De qualquer jeito, cor, veste, blablablá...
Mas, visualize comigo:
Você tem um amor lindo, fofo, delícia, pão com ovo, não importa!
Você o encontra e recebe aquele abraço gostoso, que chega junto com um carinho e um beijo daqueles!
Tudo de bom, não é?
A beleza da mulher não é ser frágil. É sim, dentro da sua inabalável força, se abrir, se entregar e se fazer frágil. Nem que seja para que seu musculoso gostosão, ou seu fofinho delícia se sinta na posição de O Protetor, que envolve e cuida.
Nunca fomos frágeis, nem nossa santa avozinha era!
Entretanto, vivemos num momento tão precioso de autoafirmação que não nos permitimos muita coisa por não querer ceder.
Imagina! Senhoras de seus destinos que se prendem a conceitos furados! Quem têm medo de se entregar! De ir em busca do seu amor.
E daí que é um amor de verão, de fim de semana ou de apenas um dia?
Pra vida toda? Ótimo!
O amor está no toque, na troca de olhares, na entrega.
Como dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade: O amor é grande e cabe nesta janela sobre o mar. O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar. O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.
Mas ai, vem você e diz: Ah, mas nem tudo é amor... Tesão, paixão, não têm nada a ver com amor!!!
Opa! Opa!
Quem disse Berenice???
O amor está na verdade da entrega, na mágica daquele momento (e olha, ele nunca se repete igualzinho, ok?), o amor está nas pequenas coisas.
Quem disse que aquele naquele casinho de época você não experimentou o amor?
Não é porque você não o viu, que a sementinha não foi plantada...
Então querida queimadora de sutiã. Se te der vontade desça do salto, se dispa de ideias e conceitos pré-concebidos e se joga nega!
Viva querida!
Viva e seja feliz!
Ah, e nada de se fazer de vítima, ok?

Mas isso é assunto para o próximo papo...
Postar um comentário